Cumulonimbus

 

 "Mas o que quer dizer este poema? - perguntou-me alarmada a boa senhora. 
E o que quer dizer uma nuvem? - respondi triunfante.
Uma nuvem - disse ela - umas vezes quer dizer chuva, outras vezes bom tempo..." - Mario Quintana

     A grama pinica nas costas, as pernas coçam na parte que o calção não cobre e algumas formigas aparecem para ser espantadas com petelecos das pernas. Mas assim deitado o maior interesse é no céu inteiro que não cabe no abrigo dos olhos. Observava as nuvens e via elefantes, golfinhos, pássaros, cavalos, cavaleiros e desenhava histórias no azul do céu. Verdadeiras aventuras de branco-azul.

     Cresceu um pouco e em um Almanaque Sabe-tudo de cento e poucas páginas aprendeu tudo sobre nuvens. Já nomeava elas: cirrus, cumulus, stratus, cumulonimbus. Entendia da condensação e do ponto de orvalho. As nuvens perderam o formato, mas ganharam lógica. Aprendeu também em outro livro desses que tem um pouco de tudo sobre a chuva, partículas de água e pressão atmosférica. A física e a química das nuvens.

     Não por acaso, adulto virou meteorologista. Adivinho do tempo, termômetros, níveis de pressão atmosférica. Era o homem da previsão do tempo. Ajudava as plantações, embarcações, caminhões... Sabia de cada molécula de nuvem.

     Um dia desses, sua filha de quatro anos apontou para uma nuvem no céu e disse: - Papai, olha um dragão e um urso. Ele quase explicou que era uma cumulonimbus.

Voam abraços,

Mayara Floss

[Mayara Floss publica na Rua Balsa das 10 à 4as-feiras]

Comentários

As mais vistas