LEMBRANÇAS SIMBÓLICAS II

Ernande Valentin do Prado

Tocou metal contra as nuvens enquanto limpava a gordura respingada no fogão. Lembrei-me de um dos padrinhos de Alice, Ronaldo Ávila. Ele gostava muito dessa música ou ela ficou gravada em minha cabeça por um motivo qualquer relacionada a ele.
Passei mais ou menos três anos em Rio Negro, Mato Grosso do Sul, onde fiz grandes amigos. Ronaldo é um deles. Neste pouco tempo de convívio ele passou por muitas dificuldades emocionais e financeiras e mudou sua vida da água para o vinho ou vice versa. Uma vez me disse: “estou em uma situação que não vejo saída”. Três meses depois encontrou a saída e saiu. Hoje é um “bravo soldado da corporação da política militar do Mato Grosso do Sul”.
Ronaldo era sério, engraçado, lúdico e firme ao mesmo tempo. Vivia com os pés no chão e a cabeça nas nuvens (nos melhores sentidos).

Sinto muita falta do Ronaldo (e o safado não vem me visitar na Paraíba).

Comentários

As mais vistas