POESIA DE PÉ DE PAREDE


Maria Amélia Mano


Atenção! Atenção!
Está passando o verdadeiro carro do sonho na frente da sua casa!
Sonhos fresquinhos de doce de leite, prestígio e chokito.
Você compra um por um real e cinco por quatro reais.
Carro de som no Porto Novo
Zona Norte – Porto Alegre – jan 2016


                Sempre no mundo de cá, da terra, e de lá, da lua, vivo e escuto e vejo frases que me cutucam a imaginação. Algo que enfeita meu déficit de atenção ou meu excesso de inspiração. Não sei onde começa, onde termina, onde vai dar. Nem sei dos limites do que é “normal”. Não me importo. Sempre gosto de olhar para além ou aquém do dito ou lido.


                É a poesia vista nos muros da cidade e dos bares, nos anúncios, nas propagandas, no jornal, no livro de receitas, no carro de som da vila, na pele. Começa com essa palavrinha: sonho. Açúcar para adoçar, misturar, não deixar empelotar, mexer e rechear. No carro de som, comprar mais é vantagem. Sonhar mais é vantagem. E segue o baile do coração desaparecido...


                Coração que é pra ser usado, que nem sonho que é pra ser recheado. A placa promete trazer a pessoa amada em três dias. Ou oferece a detetive particular que tudo descobre e é especialista em adultério. Ou oferece os serviços de advogados para solicitar pensão para filho ou benefício trabalhista. Ou promete amor feito chiclete.


                Seriam as ofertas nos muros uma mostra do que as pessoas precisam? Incertezas quanto à fidelidade, necessidade de ter de volta e na presença, que seja um grude! Desemprego e injustiças. Viagens ao interior em excursão de ônibus. Ganhar dinheiro em casa. Fazemos seu currículo. Serviços gerais. Abrimos portas e trocamos segredos. Amei o trocador de segredos!


                Fique com meu segredo que fico com o teu. Conforme o tamanho do segredo, troca feita! Assim começa o comércio. Escambo antigo. Confissões de amigos em bar viram produto. Segredo é mercadoria que se pesa ou se mede? Personagens em banquinhas. Pelo prazer de contar e ouvir e se impressionar com a vida secreta de cada um. Dá um conto!


                E ainda no campo dos desejos de ser e ter, a lojinha que promete deixar a mulher poderosa, "ninfa", irresistível! Deve ser para conquistar, talvez, o coração desaparecido, o amor chiclete. Ainda encontros: no ônibus intermunicipal, “se conecta pessoas e destinos”. Em parte, verdade. Mas só transportar e trazer pra perto não necessariamente conecta de verdade.


                A página policial, no jornal diz das “outras mortes”. Seriam as outras pessoas menos importantes que morreram no fim de semana? Ou essas outras mortes que colecionamos em dias de cansaço e desesperança? A desesperança de quem corre, entre horário de almoço, folga e fila entre as marquises de paradas de ônibus, restaurantes e calçadas de bairros populares...



                Mas tem o domingão especial pelo espeto de camarão e pela companhia amorosa. 



                Tem sonho realizado da menina da periferia que ganha prêmio da escola e viaja para a Amazônia. Registra no quadro.


                Registra na pele a outra menina, passista de escola de samba, negra, apaixonada por presidiário, desejando ser protegida da vida. "Um salmo", me diz ela.


                É tanto escrito! Escadaria de bons dias universais. Cruzamentos enfeitados, com harmonia e purpurina. O cartaz da noite que promete poesia de pé de parede... 


                Porque tudo pode ser conto e poesia, descansada e adoçada com chazinho de malva da horta comunitária do clube de mães da vila em que trabalho, onde se fazem e se vendem sonhos fresquinhos...



Fotos, em ordem:
- Capa - cartaz em bar - Olinda - PE.
- Receita de sonho - caderno da doceira do Porto Novo, Ângela Paredes. Porto Alegre - RS.
- Cartaz em rua do centro - Porto Alegre - RS.
- Anúncio em rua de Recife - PE.
- Banquinha em esquina da Cidade Baixa - Porto Alegre - RS.
- Lojinha vazia em centro de compras em Caruaru - PE.
- Escrito no ônibus da empresa Planalto - Santa Maria a Porto Alegre - RS.
- Fragmento da página policial do jornal Zero Hora - Porto Alegre - RS.
- Ticket de evento na Liberdade - São Paulo - SP
- Desenho no quadro da sala de grupos da unidade de saúde no Porto Novo - Porto Alegre - RS.
- Tatuagem de adolescente.
- Escadaria de Hostel - Olinda - PE.
- Cruzamento da Vila Madalena - São Paulo - RS.
- Cartaz feito por moradora participante da horta comunitária no Porto Novo - Porto Alegre - RS.







Comentários

As mais vistas