DEZESSETE E QUARENTA E CINCO

Foto: Sem trânsito. Larissa Mendonça Bernini, 2016. 
Ernande Valentin do Prado
17:45, em frente a Universidade Federal da Paraíba, atravesso a faixa de pedestre, ao lado do girador. Vou esperar uma carona no outro ponto, em frente ao restaurante do Orlandinho. O motoqueiro para, civilizadamente, como diz a lei de transito, mas o outro, que vem atrás, felizmente em baixa velocidade, que neste horário o transito tá quase parado em João Pessoa, bate nele. Ainda olha com cara feia, culpando-o pelo acidente. Talvez até pensando: “seu zé ruela, parar para pedestre, onde já se viu?”
- Eu parei para o pedestre, que é prioridade. Diz o primeiro motoqueiro, sem se alterar, justificando-se.
Aceno agradecendo a civilidade que o segundo motoqueiro não teve.


[Ernande Valentin do Prado publica na Rua Balsa das 10 às 6tas-feiras]

Comentários

As mais vistas