Quintinhas

Poesia da van

Causo engraçado de estar à caminho do meu estágio na zona rural e o motorista da van me desafiar a escrever um poema por dia, já que - após encontrar um livro de poesias na van comecei a lê-lo - gostava tanto de poesia. Então começou um desafio instigante de após cada dia de trabalho escrever um poema e recitá-lo no caminho de volta para casa. Pensei nas "Quintanares" do Mario Quintana, porque a Unidade Básica de Saúde é localizada na "Quintinha", então ao longo dos próximos dias irei postar as "quintinhas". Seguem alguns aqui!



Onde não tem asfalto

Primeiro poema

O Luís me desafiou
- Um poema por dia -
Ele falou
A estrada é sem asfalto
Sem calçada
Sem urbanidade
Mas a porta está sempre
aberta
Tudo muito acolhedor
Entra alo
Criança, idoso,
mordidade de cachorro
homem, gestante, Mulher
a família inteira...
Tudo assim:
junto-e-misturado
como me falou uma paciente

01/09/16

Visita domiciliar

Poeminha de Sexta

Balanço da semana
Mapas, casas,
Famílias, chuvas,
Varais de roupa,
Grampos, trabalho,
plantas, hortas,
laranjas, chão, terra,
asfalto, acolhimento,
histórias da van,
do refeitório, do estetoscópio
Cercas, espaços, comunidade
A vida que todos ensinam
e que todos aprendem...

02/09/16


Em breve mais!
Abraços que pousam,
Mayara Floss

Comentários

As mais vistas