Segunda alquimia de hoje (ou diário de um dia só ) [Julio Wong Un]

Para a tuna. 



Icarai. 16:53. 
Certamente 
O mar está contaminado 
As areias sujas
Os humanos infelizes e ansiosos
Os barulhos insuportáveis 
O bolso furado
O cheque especial e perverso crescendo 
Certo é
Que estás a mil duzentos e vinte e dois kilómetros desta banca de praça calma 

Certamente escurece de maneira dourada 
Estrelas lutam por sair e ser vistas 
Brisas torcem por ser sentidas
Sapatos de salto por ser ouvidos 

Tudo é aquilo que não percebo 

Eu
Simples 
Sem corpo sem presente 
Pleno de futuro 
Vejo em tudo 
A forma de uma boca 
O cheiro suave de uma pele 
A suavidade da presença ao amanhecer 
As luzes sobre o corpo arredondado
Um viver que virá e está ali mesmo 

Enquanto o caos da saída do serviço explode 
Eu enxergo a última luz dourada da enseada de Icarai 

E acaricio o universo inteiro. 


[JWU publica às 2as, abusivamente]








Comentários

As mais vistas