Corpo de mulher [Julio Alberto Wong Un]

[á chuva de Natal, grato]



Paul Gauguin - Nevermore - Tahiti - 1897




corpo de mulher
escada
um vento
curva infinita
universo que assopra

corpo de corpo
devastação na ausência
génese na presença

mulher em corpo e em sentidos
calor suave de pele escura
tremor invisível de pingo d'água

corpo de ti espaço aberto
vastidão que renova esperanças

corpo que dorme e transluce o sonho
lábio levemente sorriso
rosto finamente eternidade

corpo que diz
que prenuncia oásis
manancial de água fresca
moringa espeto carne mordida desejo

corpo de mulher
translúcido e matéria densa
corpo
que aprendi em tempo hábil
que acalanto como horizonte

corpo vivo que acorda boceja soa
ressoa
beija todo ele corpo
sem fim
in-finito.



Ponta Negra, Natal, Abril 30 de 2017.

[JWU publica no rb10 às 2as]




Comentários

As mais vistas